modelos nos bastidores de desfile e imediatismo na moda

As armadilhas da instant fashion, do “compre já” e do look do dia

Você também tem a sensação de que tudo está mudando muito rápido? As tendências vão cada vez mais cedo da passarela para as ruas. Se a gente pisca e demora para ver (e comprar), já era, a trend ficou ultrapassada. E logo surge outra mais nova ainda. Enquanto isso, no feed do Instagram é um look diferente todo dia. Assim fica difícil estar por dentro da moda. Será?! No Mindstyles de hoje vou falar sobre as armadilhas de um imediatismo na moda que está chamando a atenção: a instant fashion.

 

O imediatismo na moda: “compre já”

Já falei bastante sobre o See Now, Buy Now e de que forma as marcas estão lidando com a rapidez com que as peças vão da passarela para o mão consumidor. Se antes a gente esperava meses para poder comprar o que era apresentado nos desfiles, agora a disponibilidade chega a ser instantânea.

 

Se por um lado isso aproxima as pessoas das novidades das coleções e supostamente alavanca as vendas, o “veja já, compre já” pode ser um tiro no pé. Já tem muita gente questionando o imediatismo na moda, que pode ser ruim para os negócios e para a cultura do consumo.

 

Mulher com sacolas seguindo o imediatismo fashion

 

Em um artigo recente, o portal Business of Fashion falou das limitações da instant fashion e trouxe alguns pontos importantes a considerar no imediatismo na moda. Um deles é que a produção acelerada pode afetar a qualidade do produto final, especialmente no caso de marcas menores, com menos capacidade de logística e marketing. O modelo funciona melhor para grandes labels, mas mesmo elas precisam esperar o tempo necessário para cada roupa e coleção se tornar relevante para as pessoas.

 

E por falar em relevância, essa é outra questão da instant fashion: tudo perde a importância rápido demais. Acompanhar a velocidade das passarelas e das novas tendências faz a moda ser perecível ao extremo. A enxurrada de lançamentos gera uma necessidade exagerada de comprar roupas que a gente nem precisa. E de estar sempre renovando o guarda-roupa. Dá uma sensação de desperdício ver roupa nova ser considerada “fora de moda”.

 

Imediatismo na moda e as redes

Quem nunca postou uma foto nas redes sociais e depois pensou: agora não posso usar esse vestido nunca mais! Para quebrar essa ideia de que o look do dia não pode ser repetido jamais, a jornalista de moda Lilian Pacce criou a campanha #1lookporsemana.

 

 

Como o nome já entrega, o objetivo é usar a mesma roupa durante cinco dias. Digamos que esse é um exercício bem mais extremado. E difícil de realizar num país tropical de temperaturas bem mais elevadas em algumas regiões. Como assim, ficar com a mesma blusa sem lavar por uma semana? Eu como carioca com a memória do calorão que faz no Rio de Janeiro não consigo nem imaginar como isso seria por lá.

 

Mas acho que o propósito foi mais o de criar uma campanha impactante e provocadora. Para nos fazer refletir sobre nossos hábitos de consumo e questionar nossas escolhas. O imediatismo na moda está no caminho certo? Queremos isso para sermos felizes?

 

blusa com frase não tenho nada para usar sugerindo imediatismo na moda

 

A ideia veio a partir da repercussão de um post que ela fez no Instagram sobre a obrigação de não repetir looks. No texto, um conselho da jornalista de moda: “Meninas, mostrem seu poder postando o mesmo look quantas vezes quiserem. Nada como criar intimidade com a roupa que você gosta, e exercitar sua consciência sustentável social e ambiental.”

 

A indústria precisa de tanta rapidez?

 

Teve muita gente que criticou dizendo que seria uma hipocrisia. Um contrassenso falar de consumo consciente e sustentável quando na verdade o objetivo da indústria da moda é sempre vender mais. E para aumentar as vendas, seria fundamental criar o desejo de consumo nas pessoas. Fazê-las sentir a necessidade de comprar porque gostam não necessariamente porque precisam. E o imediatismo na moda tem esse objetivo. Aproximar o cliente ao produto possibilitando que a compra seja realizada no momento em que o desejo surge. 

 

selfie de estilistas com modelo no desfile e imediatismo na moda

 

Realmente um ponto a se pensar, não? Será que estamos nos tornando escravos das tendências? Não seria exagerado o ritmo em que estamos descartando os produtos que adquirimos? E você, o que acha da instant fashion e desse imediatismo na moda? Qual é a sua relação com a rapidez da moda atual? Conta para mim!